Qual É A Diferença Entre Transferências De Dinheiro E Benefícios Em Espécie?

As transferências em dinheiro são pagas diretamente ao beneficiário.

Quando se trata de ajudar os necessitados, um debate se debate se ou benefícios em espécie são os melhores. Transferências em dinheiro são exatamente o que parecem. Os destinatários recebem dinheiro ou um cartão de crédito pré-carregado que podem usar para comprar os bens e serviços de que precisam. Benefícios em espécie funcionam de maneira diferente. Em um arranjo em espécie, as pessoas recebem um bem ou serviço específico, como comida ou assistência médica. Nesse caso, o provedor determina qual benefício é dado em vez do destinatário. Existem prós e contras para ambos os acordos

Prós de Transferências de Caixa

O principal benefício das transferências de dinheiro é sua eficiência. Transferências em dinheiro são fáceis de concluir. O doador simplesmente transfere fundos por meio de uma instituição financeira ou adiciona dinheiro eletronicamente a uma conta de cartão de crédito ou débito. Essa facilidade também faz transferências de dinheiro baratas. Se, por exemplo, uma agência governamental distribui comida para os famintos, ela deve arcar com o custo dos alimentos, bem como com os custos de transporte para levá-los àqueles que precisam. Quando a comida chega, uma equipe paga ou voluntários devem se disponibilizar para distribuí-la. Isso requer investimentos financeiros e de tempo que as transferências de renda não exigem.

As transferências de dinheiro também permitem que os que precisam atender às suas necessidades mais especificamente. A necessidade é pessoal e varia de uma pessoa para outra, e as transferências em dinheiro oferecem aos beneficiários a liberdade de escolher como usar seus benefícios. A teoria aqui é que você conhece melhor as suas necessidades, e dinheiro permite que você as cumpra da melhor maneira para você.

Contras de transferências de dinheiro

Embora alguns vejam permitindo àqueles que precisam da versatilidade comprar o que escolherem como um positivo, outros discordam. Não há, por exemplo, nenhuma garantia de que um adicto use dinheiro para pagar pela reabilitação, em vez de simplesmente comprar mais drogas. É por isso que algumas pessoas preferem dar a um sem-teto um sanduíche em vez de dinheiro.

As transferências de dinheiro também aumentam o risco de roubo. Governos corruptos e voluntários podem pegar parte do dinheiro em vez de entregá-lo aos destinatários pretendidos. Transferências em dinheiro também representam uma questão de conveniência. Em alguns casos, os recebedores em dinheiro podem não ter acesso a um banco ou outro depósito seguro para receber seu dinheiro. É possível trazer o dinheiro para aqueles que precisam, mas o transporte de dinheiro é arriscado. As transferências de dinheiro às vezes elevam os preços, tentando satisfazer uma demanda sem aumentar a oferta. As transferências de renda também se revelam inúteis em áreas devastadas por desastres naturais ou guerra, onde os mercados estão desordenados ou completamente destruídos.

Prós em Benefícios em espécie

Benefícios em espécie permitem aos governos e doadores muito mais controle sobre que tipos de benefícios que eles dão. Um indivíduo ou organização pode optar por fornecer alimentos, abrigo, assistência médica, ajuda para preparação de impostos ou qualquer número de serviços, e pode fazê-lo sabendo que os beneficiários receberam exatamente o tipo de ajuda que o doador pretendia oferecer. Os serviços em espécie também são adeptos de atender uma necessidade ou demanda, aumentando a oferta sem causar aumento de preços. Na verdade, um estudo de transferências em espécie de 2017 constatou que elas reduziam os preços em uma determinada comunidade em 4%.

Contras dos benefícios em espécie

As questões logísticas criam um dos maiores aspectos negativos para benefícios em espécie. A entrega de bens tangíveis exige o pagamento pelos próprios bens (exceto no caso de doações) e depois o pagamento para transportá-los. As mercadorias também precisam ser armazenadas enquanto aguardam distribuição e, em alguns casos, como alimentos ou remédios, podem estragar ou expirar antes da distribuição.

Os benefícios em espécie também colocam limites aos destinatários. Embora os prestadores de assistência vejam os benefícios do controle como positivos, os destinatários geralmente discordam. Uma família necessitada, por exemplo, pode optar por não comprar comida e preferir comprar remédios para uma criança doente. As transferências de dinheiro permitem esses tipos de decisões, mas os benefícios em espécie não. As transferências de renda também permitem que uma família escolha quais alimentos eles compram, facilitando o trabalho em torno de alergias ou necessidades dietéticas especiais. Um destinatário que usa dinheiro de outra forma que não seja o doador não está necessariamente fazendo uma má escolha.